Dicas de Vestibular

Como interpretar figuras tridimensionais nos vestibulares?
Comentários Comente

Dicas de Vestibular

*Por Antônio Carlos Rosso

figura intro

Geometria do Espaço é um daqueles temas que sempre são cobrados tanto nos vestibulares como no ENEM e, portanto, dominá-lo, e também ter algumas estratégias na hora de encarar questões desse assunto, pode fazer uma grande diferença em seu desempenho.

Nesse contexto, uma pergunta que sempre é feita pelos alunos é a seguinte: é possível criar métodos para reconhecer propriedades de figuras tridimensionais?

A resposta é um grande SIM! Com algumas dicas e um pouco de organização, você pode acertar muitas questões envolvendo Geometria do Espaço.

Vamos a elas:

I. A primeira dica é algo que vale para todas as disciplinas. Fique antenado com o que está acontecendo no mundo. Um grande exemplo foram as Olimpíadas no Rio; a quantidade de situações em que a Geometria Espacial surge naturalmente é enorme, desde o cálculo do volume de uma bola de basquete, passando pela quantidade de água em uma piscina, até a representação do movimento do giro de um atleta no lançamento de disco.

Carmelo_Anthony_free_throw

II. Sempre que possível faça uma boa figura para representar o problema. Em muitos exercícios reconhecer triângulos em um corte em um sólido, permite aplicar relações de semelhança ou o teorema de Pitágoras e, a partir daí, responder às perguntas feitas.

 

figura 2

Representação de uma secção meridiana de um cone e uma esfera inscrita nesse cone. Os triângulos retângulos ADO e ABC são semelhantes.

 

III. Cuidado com pequenas confusões! Fique ligado: quando você lê prisma, não desenhe uma pirâmide! (o mesmo vale para cilindro e cone).

IV. Em exercícios que cobram a descrição de movimentos no espaço tridimensional e suas representações em um plano, procure se colocar na situação de observador, posicionando o objeto entre você e o plano. Por exemplo, em uma gangorra se buscamos a projeção do movimento no solo, imagine-se olhando de cima. Caso a projeção seja em um muro, “coloque-se” de modo a ter a gangorra entre você e o muro.

figura 3

V. Em provas de múltipla escolha, cuidado com as alternativas! Frequentemente, as bancas examinadoras colocam alternativas erradas em que algum equívoco previsível foi cometido. Pode ser desde uma falha de cálculo, uma interpretação errada no texto ou uma projeção diferente da que foi pedida.

Com essas dicas e um pouco de treino, conhecendo a teoria, você certamente conseguirá acertar muitos exercícios nos vestibulares e no Enem.

Agora é com vocês, bom trabalho e sucesso!

Rosso_

 


Quais os temas mais comuns em Ecologia nos vestibulares
Comentários Comente

Dicas de Vestibular

*Por Armênio Uzunian

ecology

Se há um assunto com 100% de possibilidade de ser solicitado no Enem e nos principais vestibulares, sem dúvida é a Ecologia. O quê, mais propriamente? A questão ambiental é a mais relevante. Dentre os temas ambientais mais relevantes, podem ser destacados:

– Danos aos ecossistemas florestais decorrentes de desmatamentos;

– Efeito estufa, suas causas (gases de estufa) e o aquecimento global;

– Resultados obtidos na COP-21, realizada em Paris em dezembro de 2015;

– Sequestro de carbono com plantio de árvores na remediação do efeito estufa;

– Poluição atmosférica e radioativa;

– Chuvas ácidas e consequências danosas aos ecossistemas;

– Contaminação dos recursos hídricos com consequente ocorrência do fenômeno da magnificação trófica;

– Eutrofização dos recursos aquáticos com diminuição progressiva do teor de oxigênio dissolvido;

– Ameaça aos recifes de coral com branqueamento e dissolução dos esqueletos calcários por conta da acidificação das águas oceânicas;

– Mecanismos de biorremediação que podem ser utilizados, sobretudo em casos de poluição aquática.

Blog UOL

Não se pode esquecer também dos temas tradicionais e obrigatórios da Ecologia:

– Conhecimento dos conceitos fundamentais da Ecologia: população, comunidade, ecossistema, bioma, biosfera, hábitat e nicho ecológico;

– Fluxo de energia nos ecossistemas, com reconhecimento da importância das cadeias e teias alimentares e seus componentes ou, níveis tróficos, destacando-se a base das teias alimentares, representada pelos seres autótrofos, principalmente o fitoplâncton nos meios aquáticos;

– Interpretação correta das pirâmides ecológicas: números, biomassas e energia;

– Ciclos biogeoquímicos, destacando-se o do Carbono e o do Nitrogênio;

– Crescimento populacional, seus gráficos e características. Conhecimento do significado de curva de potencial biótico, curva logística e resistência ambiental;

– Dinâmica das comunidades, as interações biológicas intraespecíficas e interespecíficas, com destaque para os mutualismos, comensalismos e competições interespecíficas;

– Sucessão ecológica, seu significado, características e resultantes, com conhecimento essencial do significado de produtividade nos ecossistemas, sobretudo nos estágios clímax;

Esses são temas relevantes da Ecologia que, certamente, comparecerão nas mais importantes provas de avaliação, seja do Enem, seja de ingresso às Faculdades e Universidades brasileiras. É preciso estar preparado!

armenio_uzunian


Como a biotecnologia pode cair nos vestibulares?
Comentários 1

Dicas de Vestibular

*Por Marcelo Perrenoud

dna-163466_960_720

Todos os anos, alguns temas específicos merecem destaque nas aulas e nos momentos que antecedem os vestibulares. Em 2016, um dos assuntos que estão em evidência é a Biotecnologia. Mas, o que exatamente estuda este ramo da ciência? A Biotecnologia faz uso de processos biológicos para a solução de problemas relacionados à saúde, agricultura, produção de alimentos, de bebidas, etc. É uma área multidisciplinar que além da biologia exige conhecimentos em química, física, informática e estatística.

Quais os principais temas dentro da Biotecnologia que podem cair nos vestibulares? A seguir veja alguns:

CLONAGEM

Muitas questões de vestibulares abordam o processo que visa criar organismos idênticos geneticamente. Na natureza muitos seres como bactérias e plantas produzem clones durante o seus processos de reprodução. Em seres humanos, os clones naturais são os gêmeos idênticos (univitelinos) que se originam a partir de um único ovócito fertilizado.

20 anos do nascimento da ovelha Dolly

Ovelha Dolly

Dr. Ian Wilmut e sua criação: a ovelha Dolly

Há 20 anos, o mundo assistiu a um evento nunca antes visto, o nascimento do primeiro clone de mamífero, a ovelha Dolly. Ela foi produzida a partir da transferência do núcleo de uma célula somática da glândula mamária da ovelha que originou a Dolly para um óvulo enucleado. Surpreendentemente, este começou a comportar-se como um óvulo recém-fecundado por um espermatozoide e formou assim o primeiro clone de um mamífero.

Deste modo, a clonagem é um assunto muito comum nos vestibulares, e a chance deste tema cair este ano é ainda maior. Fazer uma revisão sobre este assunto será uma ótima forma de acertar diversas questões.

TRANSGÊNICOS

Outro assunto muito abordado nos vestibulares são os Organismos Geneticamente Modificados (OGM).  Um organismo transgênico é formado pela união de dois pedaços de DNA vindos de organismos diferentes. O organismo que recebeu e incorporou o DNA “estranho” é o geneticamente modificado. Tudo começou no início da década de 1970, quando pesquisadores inseriram o gene humano responsável pela produção de insulina no DNA bacteriano. Com isso, bactérias transgênicas iniciaram a produção de insulina humana. Este é apenas um exemplo das diversas aplicações dos organismos transgênicos existentes. Fique atento e faça uma boa revisão sobre este tema!

CÉLULAS TRONCO

Questões sobre este tema são muito cobradas, pois células-tronco são a grande esperança da medicina regenerativa para o tratamento de lesões e doenças degenerativas do sistema nervoso. A Terapia Celular busca tratar essas doenças a partir de células-tronco manipuladas em laboratório.

Diversos são os assuntos estudados na Biotecnologia, os listados acima são os mais recorrentes. Portanto, bons estudos!

marcelo_perrenoud


A Física das Olimpíadas!
Comentários Comente

Dicas de Vestibular

*Por Marcelo Rodrigues Play

olimpiadas

O Brasil, pelo que tudo indica, terá boas e reais chances de medalhas em algumas modalidades nos Jogos Olímpicos Rio 2016. A expectativa do COB (Comitê Olímpico do Brasil) é de nossos atletas superarem a marca de 22 medalhas conquistadas nos Jogos de Londres 2012.

Em praticamente todas as modalidades dos jogos os resultados de sucesso dos atletas dependem diretamente de um intenso treinamento associado a um amplo conhecimento de Física.

Vejamos alguns casos…

Salto com vara

Salto com vara

A campeã mundial e Pan-americana Fabiana Murer é uma das favoritas a medalhas no salto com vara. Durante a seletiva brasileira para a Rio 2016, Fabiana bateu seus próprios recordes atingindo a marca de 4,87 m de altura na disputa do Troféu Brasil em São Bernardo do Campo, São Paulo. 

Desde a corrida de aproximação até alcançar o ponto de altura máxima, o atleta do salto com vara tem como meta a transformação de energia cinética (movimento) em energia potencial gravitacional (altura). Conhecer relações entre trabalho de forças e transformações de energia em corpos podem significar o sucesso do salto!

Argolas

SÃO CAETANO DO SUL, SP, BRASIL, 06-08-2012, 15h00: Henrique Medina Flores, 22, parceiro de treino de Arthur Zanetti desde a infancia, treina argolas no Clube Sede Santa Maria da AGITE, parceria entre Associação de Pais e Mestres e a Prefeitura de São Caetano. (Foto: Zé Carlos Barretta/Folhapress ESPORTE)

 

A primeira medalha de ouro da ginástica artística brasileira foi conquistada por Arthur Zanetti em Londres 2012, na prova das Argolas. O atleta acumulou desde então mais outro ouro em argolas no Campeonato Mundial de Ginástica Artística 2013 e prata, no mesmo campeonato, em 2014.

Nas Argolas, o atleta deve executar uma série de exercícios que envolvem força, equilíbrio e balanço durante a coreografia. Os conceitos de resultante e momento de forças, bem como as condições para o equilíbrio estático de corpos, são bases teóricas para um ótimo desempenho do atleta na apresentação.

Vela e Natação

Natacao_Vela

Robert Scheidt, com cinco medalhas olímpicas conquistadas na classe Laser da Vela e Thiago Pereira, 6 vezes medalhista de ouro nos últimos Jogos Pan-Americanos e medalha de prata nas Olimpíadas em Londres, são candidatos favoritos a medalhas na Rio 2016.

Forças de Empuxo, Resistência Viscosa e o Princípio da Ação e Reação são os assuntos fundamentais da Física em questões que envolvem os esportes aquáticos. 

E ainda…

Futebol

FUTEBOL

Os princípios de Newton, a Dinâmica Impulsiva e a Balística são temas da Física amplamente explorados em questões que tratam o Futebol, o Voleibol e o Handebol; modalidades em que também temos boas chances de pódio.

Que venham os Jogos Olímpicos Rio 2016!

Play_

 

 


6 dicas para retomar os estudos depois das férias
Comentários Comente

Dicas de Vestibular

*Por Daniel Perry

Volta as aulas

Com o fim das férias de inverno o vestibulando caminha para os meses decisivos rumo aos principais vestibulares e ao Enem. E, nesse momento, é comum surgir a dúvida: o que fazer para meus estudos se tornarem mais eficientes na reta final?

A seguir, veja 6 elementos que devem fundamentar sua preparação:

  1. GARRA

Se o primeiro semestre foi difícil, cheio de altos e baixos, se aulas e horas de estudo foram perdidas, acalme-se, dá tempo de recuperar muita coisa ainda. Mas, para isso, é preciso garra para superar o desânimo e o cansaço. Se não conseguir melhorar, não tenha vergonha em conversar e procurar ajuda. Busque não faltar às aulas, ser pontual e se manter concentrado. Cada minuto é importante, toda aula tem algo novo.

  1. DISCIPLINA

Depois das aulas – presenciais ou virtuais – é necessário estudo. Na aula se entende, estudando em casa se aprende. Estabeleça um cronograma de tarefas e cumpra-o. Para não se cansar muito, a cada 1h ou 2h no máximo, dê uma pequena pausa e mude de matéria. Intercalar exatas e humanas ao longo do dia também evita o estresse e confere maior dinamismo aos estudos.

  1. FOCO

Definir a carreira e as faculdades que se deseja ingressar contribui para se preparar com maior objetividade. Leia o edital dos vestibulares e faça provas de anos anteriores para “pegar o jeito”. Pesquise sobre os assuntos que tem maior incidência e estude-os com maior intensidade. Não perca tempo com notas de rodapé e temas que pouco ou nunca caem. Evite a repetição de exercícios que são banais para você, tente se desafiar com questões mais abrangentes.

  1. ESTRATÉGIA

Vestibular não é só conteúdo, é estratégia também. E para desenvolver um método eficaz de se realizar provas, é preciso praticar. Faça simulados. Conheça sua realidade como estudante, seus pontos fortes e fracos. A partir desse treino, defina a lógica que é mais eficiente para você. No dia do exame, execute-a. Não improvise.

  1. REPERTÓRIO

Se mantenha antenado. Acompanhe os principais acontecimentos políticos no Brasil e no Mundo. Entenda o que se debate na economia. E tome um “banho” de cultura: cinema, teatro, exposições, espetáculos de música e dança. O repertório amplo te dará substância. E segurança na hora dos exames.

  1. EQUILÍBRIO

Estudar como um louco é um grave erro. Depois de um mês, você não aguentará mais. Mantenha uma rotina equilibrada, com as devidas horas de descanso e lazer. Não se isole, o convívio com familiares e amigos ajuda demais a suportar a pressão.

daniel_perry


Sociologia no Enem: o que você precisa saber?
Comentários 1

Dicas de Vestibular

*Por Eduardo Calbucci

blog UOL 1

Desde a mudança do formato do Enem, em 2009, as questões de Sociologia e Filosofia vêm ganhando cada vez mais espaço na prova. Atualmente, um terço do exame de Ciências Humanas envolve essas duas disciplinas (os dois terços restantes englobam História e Geografia). Essa tendência de valorização da Sociologia e da Filosofia parece-nos um caminho sem volta, pois, além do Enem, muitos outros vestibulares estão indo nessa mesma direção. Por isso, para ingressar numa boa instituição de ensino superior, é necessário ser capaz de fazer reflexões sociológicas e filosóficas.

Em relação à Sociologia, existem três conselhos básicos para o estudante que está interessado no Enem.

O primeiro é saber que muitas questões envolvem a competência de leitura de textos básicos do pensamento sociológico, no Brasil e no mundo. Assim, é fundamental demonstrar familiaridade com esse tipo de discurso, tanto em relação aos pensadores clássicos, como Marx, Weber e Durkheim, quanto a intelectuais mais modernos. Às vezes, a questão não pressupõe conhecimento prévio da obra desses sociólogos, mas, sem experiência de leitura desse tipo de texto, é muito difícil acertar a questão. Portanto, ler textos sociológicos consagrados é uma ótima forma de se preparar para a prova.

O segundo conselho é mais específico. Atualmente, das áreas que integram o que chamamos de Ciências Sociais, a que mais tem sido lembrada pelo Enem é a Antropologia. Daí que o conceito de cultura tenha uma grande relevância no exame. Discussões envolvendo diversidade cultural, apropriação cultural, choque cultural, aculturação e etnocentrismo são extremamente comuns. Por isso, o aluno deve ir para a prova dominando essas noções teóricas e sabendo aplicá-las à realidade brasileira e mundial.

O terceiro conselho vale para todas as disciplinas praticamente. Olhar as provas anteriores e estudar por elas costuma render bons frutos, pois os exames têm a tendência a seguir um padrão em relação aos assuntos mais cobrados, ao tipo de questionamento e ao grau de dificuldade das questões. Então, mergulhe nas provas de 2009 até 2015, que você não há de se surpreender com o exame de 2016.

Bucci_2


Férias: descanso e leitura
Comentários Comente

Dicas de Vestibular

*Por Paulo Giovani de Oliveira

Estudo nas ferias

Férias! Momento ideal para recarregar as baterias e desfrutar de um merecido descanso. O estudante deve considerar o ócio programado como fundamental ao seu bom desempenho nos vestibulares. Mas o aluno aplicado talvez carregue o peso moral de não estar debruçado sobre os seus exercícios, cumprindo tarefas, conferindo gabaritos.

Uma boa oportunidade de unir entretenimento sem deixar de lado a responsabilidade com as tarefas é colocar em dia a leitura das obras literárias requeridas pelos vestibulares. Alguns vestibulandos objetarão que uma leitura como essa, a ser cumprida como exigência para uma prova, nunca parecerá distração. De fato. Mas o ingresso em uma universidade de ponta bem vale um exercício que exige maturidade e reflexão: dada a grande incidência de questões sobre esses livros, e considerando que todos eles são consagrados pela tradição crítica em nosso idioma, por que não exercitar a vontade, “abrir a cabeça” e tentar usufruir da companhia de grandes escritores?

Por onde começar?

Em sua trajetória escolar, o vestibulando já deve ter tido contato com várias daquelas obras exigidas pelos grandes vestibulares. Por mais que esse primeiro contato possa ter sido ainda imaturo, não podemos desconsiderá-lo. O melhor então é começar a leitura pelos livros que ainda não foram lidos. E, já que estamos em férias, e (ao menos em princípio) com muito mais tempo, talvez seja o momento de encarar aqueles com maior número de páginas. É uma decisão bem pragmática: quando estamos em aula, na correria do nosso dia a dia, fica bem mais fácil dar conta da leitura de Vidas Secas, de Graciliano Ramos, um livro de 120 páginas, do que de Caminhos Cruzados, de Érico Veríssimo, que ultrapassa as 300.

Agora é arregaçar as mangas e se dispor a tomar uma “atitude simpática” diante da obra que está à sua frente. O que é atitude simpática? É se dispor, internamente, a querer usufruir daquela leitura. É exercitar a vontade, o “querer” ativo e produtivo. É deixar de lado aquele ranço de que “ler livro para a escola é chato”.

Conhecimento e vida

Os livros exigidos pelos vestibulares têm a garantia de serem relevantes para a compreensão da nossa realidade social e cultural. Exemplo: a experiência de ler Mayombe, do escritor angolano Pepetela (leitura exigida pelo vestibular da Fuvest) nos familiariza com questões fundamentais de Angola – talvez muito mais do que se estudássemos sobre esse país por meio de livros de história. A representação artística de uma determinada realidade vem carregada de sentimento humano, o que se poderia dizer, em outros termos, “vem carregada de vida”. Nessa obra podemos ver o mundo pelos olhos de guerrilheiros em meio a uma densa floresta tropical, encarando dilemas profundos sobre matar ou morrer, sobre convicções políticas ou, ainda, sobre o amor.

Evidentemente, o leitor tem todo o direito de não gostar dessas obras. Mas essa opinião, se embasada por uma leitura consciente, é tão útil quanto qualquer outra e será também eficiente nas provas de vestibular. Vale então passar alguns dias tendo ao seu lado companhias tão gabaritadas e interessantes como Machado de Assis, Carlos Drummond de Andrade, Eça de Queirós e tantos outros. Dialogar com eles é desfrutar de momentos ricos de emoção e de conhecimento.

Boas férias!

Paulo_Oliveira_