Dicas de Vestibular

A Guerra Civil Espanhola nos vestibulares e ENEM

Dicas de Vestibular

*Por Gianpaolo Dorigo

Em 2016 celebra-se o 80º aniversário do início da Guerra Civil Espanhola, o que costuma servir de pretexto para que o assunto seja lembrado pelas bancas examinadoras dos grandes vestibulares. Na verdade, questões sobre o assunto têm sido bastante comuns: nos últimos 7 anos, a Guerra Civil Espanhola apareceu 2 vezes no ENEM, 2 vezes na prova da Unicamp, 1 vez na Fuvest e 1 vez na Unesp, além de 2 vezes na prova de Administração da FGV.

As perguntas demandam um conhecimento básico do assunto, incluindo:

a) identificar os adversários. De um lado os republicanos, grupo de esquerda formado pelo governo eleito do país: a Frente Popular. Apoiada por vários grupos de esquerda (comunistas, socialistas, sindicatos, federações anarquistas) e contando com amplo apoio popular, existia sobretudo nas grandes cidades e no movimento operário. Do outro lado, os nacionalistas, bloco de viés fascista formado por setores conservadores em geral: elites, Igreja, antirrepublicanos (monarquistas) e elementos do exército.

b) contextualizar. Em meio à crise do liberalismo na década de 1930, a Guerra Civil Espanhola foi um importante campo de luta entre a esquerda (governo republicano) e a direita (oposição nacionalista-fascista). Tal disputa ocorria também em outros países e caracterizava o contexto político internacional.

Pôster republicano, denunciando a intervenção fascista na Guerra Civil espanhola: “A garra do invasor italiano pretende escravizar-nos”

Pôster republicano denunciando a intervenção fascista na Guerra Civil espanhola: “A garra do invasor italiano pretende escravizar-nos”.

c) entender a intervenção estrangeira. Do lado republicano havia o apoio material soviético com envio de recursos, equipamentos e assessores militares. Além disso, ocorreu a mobilização das Brigadas Internacionais, grupos de voluntários de todo o mundo que viram na guerra uma forma de participar da luta mundial contra o fascismo. No lado nacionalista, houve o apoio da Alemanha nazista e Itália fascista, países que mantiveram uma neutralidade de fachada ao mesmo tempo em que enviavam poderosos contingentes militares para combater como parte das forças nacionalistas.

d) compreender o desfecho. Vitória final dos nacionalistas e início da ditadura fascista encabeçada pelo general Francisco Franco, que iria durar até a década de 1970.

A Guerra Civil Espanhola ocorreu em meio a uma época de renovação nas artes, portanto muitos artistas de vanguarda apoiaram a causa republicana. A partir daí, foi produzida uma vasta iconografia sob a forma de cartazes, filmes e pinturas, e muito desse material costuma ser utilizado em vestibulares. Das 8 questões arroladas acima, nada menos que 5 utilizam imagens. Nesse sentido, é importante ter um conhecimento visual dos principais símbolos, personagens e slogans dos dois grupos, como forma de extrair informações das imagens apresentadas se necessário.

Guernica, painel pintado pelo artista espanhol Pablo Picasso (1881-1973). A pintura é, ao mesmo tempo, denúncia das atrocidades cometidas durante a Guerra Civil espanhola e manifesto pacifista de alcance universal.

''Guernica'', painel pintado pelo artista espanhol Pablo Picasso (1881-1973). A pintura é, ao mesmo tempo, denúncia das atrocidades cometidas durante a Guerra Civil espanhola e manifesto pacifista de alcance universal.

Em meio a esse material, destaca-se a importante tela de Pablo Picasso, Guernica, pintada em 1937 e durante a Guerra, como denúncia ao massacre ocorrido naquela cidade. Em abril daquele ano, aviões alemães sobrevoando como parte da Força Aérea Nacionalista, destruíram a cidade. Provocaram um verdadeiro massacre da população civil. A tela tornou-se não apenas uma denúncia do ocorrido, mas também um verdadeiro manifesto pacifista, tendo se transformado provavelmente na mais famosa pintura produzida no século XX.

Bom estudo!

Gianpaolo_Dorigo